Deficientes físicos clamam por um olhar mais atento do poder público

por Mariana Vilas Boas publicado 05/06/2018 09h25, última modificação 11/06/2018 10h23

Na sessão da última segunda-feira (04) Gean Oliveira e Carlos Brazavilly, deficientes físicos cachoeiranos, utilizaram a tribuna livre da Câmara de Vereadores para explanar as dificuldades vivenciadas no dia-a-dia de deficientes físicos em Cachoeira e a necessidade de promover ações que possibilitem uma melhor qualidade de vida para essas pessoas.

A principal queixa de Gean e Nem Brazavilly é a falta de acessibilidade na cidade; praças, calçadas, bares, restaurantes e prédios públicos que não oferecem condições decentes para um deficiente físico e, quanto tem, é de péssima qualidade; rampas estreitas ou muito íngremes e banheiros com portas estreitas que uma cadeira de rodas não passa, por exemplo.

Os dois pediram uma atenção maior dos vereadores no que tange a fiscalização das obras da cidade, para que tenham acessibilidade, bem como os transportes públicos, políticas públicas voltadas para deficientes físicos, ações da Secretaria de Assistência Social, facilidade de acesso à medicação necessária e fisioterapia gratuita de qualidade.

As dificuldades enfrentadas diariamente por essas pessoas, comoveu os vereadores e populares presentes na sessão. Muitos edis se pronunciaram, atestando a necessidade de melhorar as condições dos deficientes e investir em políticas públicas que ofereçam uma melhor qualidade de vida para eles, se comprometendo em buscar as ações necessárias junto ao poder público municipal e outros órgãos, além de continuarem fiscalizando obras públicas e garantindo que as leis sejam executadas.

error while rendering plone.comments